sábado, 29 de setembro de 2012

terça-feira, 18 de setembro de 2012

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Viva Salvador Allende!

Neste 11 de setembro de 2012 aproveito para recordar de um grande homem, líder chileno, Salvador Allende!

Viva el pueblo! Viva os trabalhadores! Viva Salvador Allende!




"Seguramente, esta será a última oportunidade em que poderei dirigir-me a vocês. A Força Aérea bombardeou as antenas da Rádio Magallanes. Minhas palavras não têm am
argura, mas decepção. Que sejam elas um castigo moral para quem traiu seu juramento: soldados do Chile, comandantes-em-chefe titulares, o almirante Merino, que se autodesignou comandante da Armada, e o senhor Mendoza, general rastejante que ainda ontem manifestara sua fidelidade e lealdade ao Governo, e que também se autodenominou diretor geral dos carabineros.


Diante destes fatos só me cabe dizer aos trabalhadores: Não vou renunciar! Colocado numa encruzilhada histórica, pagarei com minha vida a lealdade ao povo. E lhes digo que tenho a certeza de que a semente que entregamos à consciência digna de milhares e milhares de chilenos, não poderá ser ceifada definitivamente. [Eles] têm a força, poderão nos avassalar, mas não se detém os processos sociais nem com o crime nem com a força. A história é nossa e a fazem os povos.



Trabalhadores de minha Pátria: quero agradecer-lhes a lealdade que sempre tiveram, a confiança que depositaram em um homem que foi apenas intérprete de grandes anseios de justiça, que empenhou sua palavra em que respeitaria a Constituição e a lei, e assim o fez.



Neste momento definitivo, o último em que eu poderei dirigir-me a vocês, quero que aproveitem a lição: o capital estrangeiro, o imperialismo, unidos à reação criaram o clima para que as Forças Armadas rompessem sua tradição, que lhes ensinara o general Schneider e reafirmara o comandante Araya, vítimas do mesmo setor social que hoje estará esperando com as mãos livres, reconquistar o poder para seguir defendendo seus lucros e seus privilégios.



Dirijo-me a vocês, sobretudo à mulher simples de nossa terra, à camponesa que nos acreditou, à mãe que soube de nossa preocupação com as crianças. Dirijo-me aos profissionais da Pátria, aos profissionais patriotas que continuaram trabalhando contra a sedição auspiciada pelas associações profissionais, associações classistas que também defenderam os lucros de uma sociedade capitalista. Dirijo-me à juventude, àqueles que cantaram e deram sua alegria e seu espírito de luta.



Dirijo-me ao homem do Chile, ao operário, ao camponês, ao intelectual, àqueles que serão perseguidos, porque em nosso país o fascismo está há tempos presente; nos atentados terroristas, explodindo as pontes, cortando as vias férreas, destruindo os oleodutos e os gasodutos, frente ao silêncio daqueles que tinham a obrigação de agir. Estavam comprometidos. A historia os julgará.



Seguramente a Rádio Magallanes será calada e o metal tranqüilo de minha voz não chegará mais a vocês. Não importa. Vocês continuarão a ouvi-la. Sempre estarei junto a vocês. Pelo menos minha lembrança será a de um homem digno que foi leal à Pátria. O povo deve defender-se, mas não se sacrificar. O povo não deve se deixar arrasar nem tranqüilizar, mas tampouco pode humilhar-se.



Trabalhadores de minha Pátria, tenho fé no Chile e seu destino. Superarão outros homens este momento cinzento e amargo em que a traição pretende impor-se. Saibam que, antes do que se pensa, de novo se abrirão as grandes alamedas por onde passará o homem livre, para construir uma sociedade melhor.



Viva o Chile! Viva o povo! Viva os trabalhadores! Estas são minhas últimas palavras e tenho a certeza de que meu sacrifício não será em vão. Tenho a certeza de que, pelo menos, será uma lição moral que castigará a perfídia, a covardia e a traição."


____________

8]

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Pelo direito de ir, vir e sassaricar

_____

Encontrei uma amiga outro dia no supermercado e ela me disse: "acompanhei sua saga pelo blog, mas e como foi a cirurgia, conta lá!"

Eis me aqui... 
Depois de toda história relatada nos posts anteriores posso dizer que sobrevivi e, talvez, ainda terei muitas histórias pra contar e algumas aventuras, tanto ou mais frustantes como as vividas pelos corredores do HGCR.
Minha cirurgia foi realizada no dia 28 de agosto e foi um sucesso!
Recebi alta já no dia seguinte e desde então estou em casa me recuperando. 
O tempo total até voltar as atividades cotidianas é aproximadamente três meses.

Mas como não sou muito de ficar em casa resolvi dar uma banda por aí... Peguei as muletas que me acompanham e cai no mundo... 
Agora o que na minha cabeça seria um simples rolezim acabou tornando-se uma viacrucis.
E por aí fui comprovando que o mundo não está preparado para aquilo que é diferente... E como é difícil ser o mais alto, o mais baixo, o mais gordo, o "aleijado", enfim... Tudo aquilo que foge ao padrão pré-estabelecido por "sei lá quem", desconfio, mas essa é outra conversa! 

No trajeto até o supermercado, tive que enfrentar calçadas esburacadas, sem rebaixamento e com altos desníveis. Se todo esses obstáculos já pareciam quase intransponíveis para mim que conto com uma perna e duas muletas, imagine para um cadeirante?!? Tem que ser acima de tudo guerreiro...

E infelizmente esses são fatos que passam despercebidos para a maioria das pessoas. Alguns até se solidarizam, mas poucos tem realmente a consciência sobre eles. E ter consciência de que algo tem que ser feito e que é preciso um grande BASTA são os primeiros passos para cobrarmos melhorias ao poder público. É preciso antes reconhecer tal realidade para lutar por sua superação.
E olha que aqui elencamos apenas as diferenças físicas, sem mencionar as diferenças de gênero, orientações sexuais, credo, etc etc etc, que também são  ignoradas e tratadas muitas vezes como "defeitos que precisam ser corrigidos ou extirpados do meio da sociedade de bem". E enquanto isso vamos agindo como se tudo tivesse bom, pulando os buracos e tapando o sol com a peneira, peraí cara pálida, isso tudo tem a ver contigo! 

Quer outro exemplo, Pizzaria Pharma na rua Lauro Linhares, conhecido pela qualidade do rodízio e tradicional point no bairro da Trindade. Lá estava eu tentando subir (cai-não-cai) os 5 degraus da entrada quando o garçom vira pra mim e diz: "nossa cuidado pra não cair!" E eu em alto e bom som: "Cair?!? Cadê a rampaaaa, p@#5$#&¨*&¨##$%!?!?!" 
E agora me pergunto: "Quantas vezes fui a essa mesma pizzaria e nunca havia sentido a ausência de uma rampa?!?!?"
E você sente falta dela??!


E exemplos não faltam...
Temos aos montes por aí!



Não acredito que seja necessário que todos andemos de cadeiras de rodas ou de muletas por aí para saber que algo precisa ser feito... Talvez o que necessitamos urgentemente é olhar um pouco para além do nosso umbigo e da nossa individualidade e conduzir olhares para o lado, para cima e para baixo a fim de perceber que somos mais parecidos do que imaginamos. 
Respeito à diversidade se faz com ação efetiva, com políticas públicas de inclusão que permitam que todos, mesmo sendo diferentes, possam desenvolver suas capacidades em "pés" de igualdade.

Pelo visto temos muito trabalho pela frente, então que tal começarmos já?!?

A partir de hoje me esforçarei para não frequentar qualquer estabelecimento que não tenha acesso para pessoas com necessidades especiais (sejam essas necessidades quais forem!)
BOICOTE JÁ! TOPAXX??!?

8]

domingo, 2 de setembro de 2012